História do Jiu Jitsu

HISTÓRIA DO JIU JITSU

O Jiu-Jitsu nasceu há mais de 2500 anos, na Índia, criado por monges budistas, que, por sua religiosidade, não podiam usar armas para se defender. Devido aos diversos ataques à sua comunidade, desenvolveram uma forma de defesa baseada no estudo dos movimentos dos animais. O princípio dessa luta corpo a corpo era a força da alavanca que permitia um indivíduo mais fraco vencer o adversário mais forte e pesado.

A palavra Jiu-Jitsu significa “arte suave” pois seu princípio se baseia na arte de ceder para vencer, usar o peso e a força de seu adversário contra ele mesmo. O objetivo principal é fazer o uso mais eficiente das energias mental e física no momento da luta.

Essa forma de luta chegou ao Japão sendo conhecida como a luta dos samurais. O jiu- jitsu se destacava, apesar da agressividade da época, pelo equilíbrio e flexibilidade que se sobressaíam à força bruta. Com a abertura dos portos ao ocidente foi decretado, pelo imperador japonês, crime ensinar jiu-jitsu no Japão, como tentativa de preservar essa arte marcial como cultura exclusiva do povo japonês.

Porém, após a primeira guerra mundial, houve um grande movimento imigratório do povo japonês e o conde Maeda Koma, campeão japonês da época, escolheu o Brasil para viver. Maeda chegou à cidade de Belém do Pará em 1920 onde conheceu Gastão Gracie, homem influente na cidade que o ajudou.

Em gratidão ao amigo, o conde Maeda Koma ensinou jiu-jitsu ao filho mais velho de Gastão, Carlos. Mas foi seu irmão Hélio Gracie que desenvolveu o jiu-jitsu, com seus 63 quilos, vencendo adversários com mais de 100, provando assim que a técnica vence a força. Hoje o BJJ, Brazilian Jiu-Jitsu é reconhecido no mundo todo, tendo o Japão como grande consumidor de nossa arte.